Arquitetura do Controle

22fev08

Do shopping até um site na internet, nossa vida está cheia de exemplos de produtos, sistemas e ambientes que foram arquitetados para influenciar, guiar ou controlar o nosso comportamento, utilizando diversos tipos de técnicas: tecnológica, física ou psicológica.

A arquitetura do controle é isso: uma teoria de que o design pode ser utilizado para controlar o comportamento do usuário.

Em um bar por exemplo, a última coisa que um dono vai querer são poltronas confortáveis – lugares perfeitos para os bêbados apagarem e passarem ali a noite inteira – por isso, a maioria dos assentos utilizados em balcões de bares são os bancos.

Em aeroportos as cadeiras utilizadas na maioria das vezes tem apoio para os braços e são um pouco afastadas umas das outras. Se você achava que esta ação foi pensada para o seu conforto, enganou-se. A verdade é que ninguém quer que as pessoas durmam nos bancos, não importa se os vôos atrasaram ou não.

 

O designer de interação deve sempre se lembrar que também tem este tipo de poder e pode controlar (até um certo ponto) a presença de um usuário dentro de um site.

Você, leitor, já se sentiu controlado por aí? Caso afirmativo, deixe a sua história nos comentários.

Para saber mais sobre o assunto, acesse o blog Architectures of Control.

Link: Architectures of Control



8 Responses to “Arquitetura do Controle”

  1. 1 priscilla

    Parabéns plo novo blog!!!

  2. Esse tema é muito legal… Norman também trata disso, no caso de produtos mesmo, quando fala das coerções que o design deve explorar: “O bom design explora as coerções de maneira que o usuário tenha a sensação de que existe apenas uma coisa possível a fazer: a coisa certa”.

    O grande lance é saber aplicar (ou não) o conceito de acordo com as demandas específicas de cada projeto. Essas coerções sobre os espaço físico são um belo exemplo.

  3. Como arquiteta, acho muito interessantes essas “sutis-formas-de-controle”…

    Na escola de arquitetura, aprende-se inclusive a usar as cores para provocar essa ou aquela reação.

    Mas, por outro lado (o lado do usuário, talvez, ou o lado da pessoa que gosta de observar o mundo por outros ângulos), eu gosto mesmo é quando a coisa foge do controle… e até do bom senso.

    E o bêbado dorme se equilibrando no banco… e o usuário descobre uma posição confortável pra dormir na cadeira do aeroporto… e a gente encontra uma pessoa que acha azul estimulante…

    é aí que o humano aparece, quando encontra formas criativas e até tolas de protestar contra o mundo das regras.

  4. Rebecca DISSE: “Na escola de arquitetura, aprende-se inclusive a usar as cores para provocar essa ou aquela reação.”

    Concordo contigo, sobre esse ponto, só gostaria de amadurecer mais sobre a questão de “controle”, não só usamos as cores, mais também: os caminhos, luzes até a própria temperatura…

    Um exemplo de “temperatura” e “cor” aconteceu numa empresa de médio porte, aonde os funcionários iam ao banheiro e na maioria das vezes ficava por lá mesmo batendo um papinho descontraido, e a empresa não lucrava com isso! BAH,

    Qual foi a do arquiteto!? Deixar o banheiro um ambiente pesado e caloroso, pra o indivíduo quando entrasse no ambiente sentisse o peso e calor das cores que no caso são quentíssimas…

    Então uma viagem de 15~20 minutos passaram a 3~5, contando que cada funcionário ia ao banheiro entre 3 a 4 vezes por dia.

    Isso realmente foi bem significativo…

  5. 5 lu_cattony

    Um exemplo disso são os váááááááários caixas que encontramos no supermercado. A gente acha que eles somente servem para agilizar a nossa vida, né? Rsrsrsrs….
    Quando a gente fica muito tempo esperando na fila do supermercado o que acontece? (Procure se lembrar, caso já passou por uma situação dessas…) A nossa tendência é olhar para o nosso carrinho de compras e refletir sobre determinados produtos; e a consequência disso é que quase sempre excluímos alguns deles…
    Dessa forma, o supermercado perde vendas quando deixa o cliente esperando e, por isso o atendimento dos caixas deve ser prá lá de eficiente…😉
    Abs! Luciana Cattony

  6. ah, essa do aeroporto é bem frustrante, né?!

  7. sabe quando uam informação vem super a calhar? esta foi uma dessas.
    eu e meu marido estamos com u projeto comercial em andamento e tudo -mesmo- que surge em termos de idéia, ou informação é super útil.

    desinformada do assunto, a tecnologia que conheço, e da qual já fui “cobaia” são as lojas com fragâncias de panetonne em época de natal…não é arquitetura, mas dá um (des)controle imenso no meu estômago…rsrs.

    parabéns pelo novo blog!


  1. 1 Arquitetura da autoridade « web luv

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: